Além da academia, você, assim como eu, resolveu se infiltrar no mundo da corrida? Então, meu caro leitor, saiba que esse esporte é considerado um dos mais democráticos em todo o Planeta. Isso porque, qualquer pessoa (independente de idade ou classe social) pode praticar a corrida.

Além disso, no esporte, basta uma roupa confortável e um bom tênis. E não estou falando de valores, não. Afinal de contas, temos muitas marcas por ai com ótimos calçados a preços acessíveis. O lance é saber escolher aquele que melhor se encaixa ao seu perfil de pisada e tipo de corrida que pretende seguir.

“Eu posso dizer que o tênis é o principal dos acessórios para quem quer sair correndo por ai, pois é ele que será responsável pelo conforto, pela estabilidade, pelo amortecimento e também auxilia na prevenção de lesões”, foi o que me contou Vanessa Delavy, coordenadora corporativa do grupo de corridas da academia Cia Athletica, em São Paulo.

Também conversei com Rodrigo Barreiros, gerente de calçados da Mizuno e ele explicou o que o tênis precisa ter. “Bom nível de amortecimento, de estabilidade, de flexibilidade, de durabilidade, de ventilação e de leveza. Essas são características mandatórias, independente se fará caminhada, corrida na rua ou na esteira”, aponta.

Outro fator importante é a ventilação. A temperatura e umidade favorecem a proliferação de fungos e, por isso, nada adianta ter um calçado que abrace demais os pés, usando tecidos de tramas fechadas, que impeça a respiração, mantendo-os quentes e suados.

Vida útil do calçado

The runner

E quando eu falo em tempo de duração não é aquele momento em que o solado estiver quase caindo, ou abrir um buraco no dedo. Muito pelo contrário. Não importa o tênis parecer novo por fora, se o amortecimento dele já acabou.

“Hoje em dia existem várias marcas e modelos, sejam eles caros e baratos. Então, é muito complicado estipular um prazo. Porém as grandes marcas que trabalham com linhas específicas para esportes de impacto como a corrida, utilizam materiais de primeira linha na confecção desses calçados”, diz Vanessa.

Mas eu insisto sobre o tempo de vida útil e ela abre o jogo: “Eu recomendo a troca do tênis de 6 em 6 meses, porém isso também é relativo, pois a pessoa corre quantas vezes por semana? Quantos km? Para o iniciante, um tênis pode durar um ano. Então, recomendo que a pessoa observe e troque o tênis a cada 700km percorridos”, ensina.

Para uma pessoa que corre em média 10km, 3 vezes na semana, o calçado durará 6 meses, mais ou menos. Mas, tem outro fator importante que a coordenadora me explicou. Para que o amortecimento dure mais, é preciso revezar o tênis com outro.

“O calçado leva em torno de 24 horas para recuperar o seu amortecimento. Portanto, se a pessoa corre na segunda, ela deverá usar outro tênis na terça. Assim a durabilidade aumenta e fica dentro dessa regrinha dos 6 meses”, explica.

Agora, caso você tenha apenas um tênis para corrida, fique atento, pois o amortecimento irá acabar bem mais rápido. E é perceptível quando o calçado já está desgastado. Sentimos o contato do pé com o solo, ou algum desconforto e até mesmo dores (eu já senti uma dor na canela sempre na metade do treino de corrida. Troquei de tênis e parou).

“Outra dica é não deixar o tênis de molho na hora de lavar. Para algumas placas de plástico (amortecimento), esse contato excessivo com a água provoca micro rachaduras durante o processo de secagem. Assim, a placa de amortecimento dura menos, também”, alerta Vanessa.

Para caminhada, corrida e trilha

Se você tem essa mesma dúvida que eu, saiba que existe sim algumas pequenas diferenças no tipo de tênis, de acordo com o perfil de corrida que fará.

Para as caminhadas, não basta ter um tênis bonito e da moda. Precisa ser macio, confortável, estável. Ter cadarço. Além disso, não pode ser duro na sola, precisa ser flexível, dobrar ao meio, para que acompanhe a passada na hora da caminhada.

“Hoje temos tênis largos e estreitos, por isso é preciso experimentar, ajustar o cadarço corretamente. Só assim é possível ter um tênis bom e confortável”, ensina Vanessa.

Já Rodrigo Barreiros é mais direto: “Como a força do impacto é menor que na corrida e a passada é mais lenta e controlada, calçados com nível de estabilidade e amortecimento moderado já são suficientes para a prática do exercício.”

Passos Mais Rápidos

Para quem vai enfrentar a corrida (seja na rua ou esteira), precisa levar em consideração alguns pontos: a intensidade do treino (velocidade, distância, ritmo), assim como o nível do corredor (iniciante, intermediário e avançado).

“Se for realizar um treino de tiro, o ideal é que utilize um calçado mais leve. Para longões, calçados com maior nível de amortecimento são os mais recomendados”, aconselha Barreiros.

Para Vanessa, o impacto do asfalto também deve ser considerado. “Tem pessoas que preferem o solado mais baixo e outras pessoas o solado mais alto. Isso varia conforte o objetivo, a performance, se a pessoa está apta a usar tênis mais baixos, se está no seu peso ideal…”, conta.

A coordenadora explica que alguns atletas preferem o solado mais baixo, pois a transferência de uma passada para a outra pode ser facilitada, possibilitando menos contato com o solo e mais impulsão. “Também conheço corredores que, por estar acima do peso, se sentem mais seguros com solados mais altos”, argumenta.

Já para quem vai correr somente na esteira, a diferença é que a passada é mais controlada (não há curvas nem buracos). E, em alguns casos, o aparelho ajuda a reduzir o impacto da passada. De qualquer maneira, o importante é saber que, em ambos os casos, é necessário ter calçados com bom nível de amortecimento e estabilidade.

Em Terrenos íngremes

Trail_Running_01Agora, se você é do tipo aventureiro e quer enfrentar uma corrida com trilha, geralmente os tênis são mais robustos para evitar entorses do tornozelo. O solado deve ser apropriado para solos diferenciados e muitas vezes tem cano médio para alto.

É importante dar preferência por calçados que tenham travas de borracha para evitar escorregões em qualquer circunstância. Atém mesmo quando se pisar em uma pedra, por exemplo.

“Outro fator que também interfere são ranhuras na parte central do solado, que fazem com que o pé se adapte aos terrenos irregulares da corrida de montanha. Conforto também é primordial. Cada quilômetro em trilhas é sempre mais complicado que aquele percorrido na rua”, explica Barreiros.

Tipos de pisada

Essa é clássica, porém muito importante. Saber qual é o tipo da nossa pisada é primordial para melhorarmos na performance ao longo das corridas, além de evitar possíveis lesões. “De uma forma simples, podemos classificar assim: pisada pronada é aquela que a pessoa começa pisando de dentro para fora”, ensina Vanesa.

Sharp_20130925_125050_001-e1448919064901No caso da supinada é o inverso: a pessoa pisa de fora para dentro. E na pisada neutra há um equilíbrio que faz a pessoa pisar de forma uniforme. “O ideal é fazer um bom teste, de preferência em uma clínica esportiva com um ortopedista e fisioterapeuta. Geralmente nas clinicas o teste é feito descalço e é possível avaliar até a distribuição da pressão que o pé exerce durante a atividade”, conta a coordenadora.

O que o mercado nos oferece

Depois de toda essa aula, aposto que você está craque no assunto, certo? Então, vamos às novidades das principais marcas. Preparado para escolher qual será o seu próximo tênis?

Para corrida e caminhada

Ultra Boost (Adidas)

Ultraboost MasculinoDe acordo com informações da marca, a tecnologia boost™ fornece energia leve e rápida. Seu cabedal em Primeknit, traz flexibilidade e apoio, expandindo-se naturalmente com seu pé enquanto você corre e fornecer encaixe mais confortável, ajudando a reduzir irritações. O solado externo de borracha proporciona mais movimento do calcanhar aos dedos.

Unlimited Colorway (Nike)

FA16_Cross_Category_Unlimited_Colorway_Collection_LR_originalA empresa afirma que o tênis não tem nenhuma novidade em termos de tecnologia na corrida. Continua tudo igual. A diferença está nas cores, voltadas ao atletismo, à velocidade e aos animais da natureza. Tudo isso como forma de homenagear os Jogos Olímpicos, que serão realizados aqui no Brasil.

Kenya Racer 3 (Fila)

filaCalçado usado por atletas quenianos e, de acordo com a marca, bem avaliados por testadores aqui no Brasil. Pesa apenas 176g e é exportado para Ásia e Europa, com estudos de expansão para outros novos países, onde a marca atua.

Fuzex (Asics)

Fuzex (masculino) R$ 499,90A marca conta que o tênis tem a tecnologia de entressola chamada FuzeGEL. Localizada na parte traseira do pé, ela e uma fusão da tecnologia GEL e do EVA que permite uma corrida mais suave e confortável aos pés.

Para trilha

Terrex Agravic (Adidas)

Terrex (trilha)Também com a tão comentada tecnologia boost™, o calçado tem lingueta em EVA respirável para maior conforto e solado externo de pneu de bicicleta em Tecnologia CONTINENTAL®: borracha aderente para trazer maior firmeza à corrida.

Terra Kiger 3 (Nike)

NIKE-AIR-ZOOM-TERRA-KIGER-3-749334_402_E_PREMCom tecnologia de ajuste dinâmico para ventilação e suporte leve, segundo a marca, o tênis fornece absorção de choque sensível e aderência superior quando você estiver correndo nas trilhas.

Fuji Runnegades (Asics)

FUJIRUNNEGADE (Masculino)Indicado para trilha mais extremas, com lama profunda, ou em terrenos totalmente difíceis, o tênis apresenta a nova tecnologia PlasmaGuard, um revestimento inovador no cabedal que mantém o calçado protegido da chuva e da lama, sem a perda da respirabilidade e flexibilidade.

Conclusão

Pronto para a corrida? Bom, eu já estou de olho em alguns tênis para me preparar para a próxima corrida. Espero que você possa se guiar com o meu texto e também escolher o seu próximo calçado. Bom treino!