Quem curte esporte sabe da importância que ele tem para a nossa saúde, sem contar toda a parte social e aprendizado do convívio em grupo. Por isso, muitos pais acabam colocando as crianças logo cedo para praticar alguma atividade física.

Os pais viciados em musculação, querem logo que seus filhos passem a frequentar a academia, também. Mas, para isso, é preciso um cuidado maior e saber a idade certa para matricular o pequeno. “A musculação, assim como qualquer atividade física, pode prejudicar a criança se ultrapassar os limites do corpo, levando a sobrecarga em uma das estruturas corporais”, explica Mauro Olívio Martinelli, especialista em medicina esportiva e médico ortopedista do Centro de Qualidade de Vida, em São Paulo.

O esqueleto é composto por cerca de 90% de fibras colágenas que conferem ao tecido ósseo resistência às forças de deformação. O esqueleto do atleta muito jovem, em desenvolvimento, é formado por segmentos ósseos e cartilaginosos.

“O trauma repetido ou forças exageradas, quando aplicadas ao esqueleto cartilaginoso, podem produzir diminuição da vascularização, lesão das placas de crescimento ósseo e consequente alteração na forma do osso definitivo”, conta Joaquim Grava, ortopedista e médico do esporte do Hospital São Luiz (SP).

Ou seja, as placas de crescimento podem se fechar precocemente, ou ainda se fechar de maneira disforme, causando algumas alterações na sua forma normal.

A Idade Ideal

   

musculação criança idadeNo geral, o recomendado pela maioria dos profissionais é que a prática de musculação ocorra por volta dos 16 anos, que é o momento em que a chamada maturação osteomuscular já está quase completa. “Essa maturação se dá nas meninas após a primeira menstruação e nos meninos após o ‘estirão’, em que eles crescem de 8 a 10 cm em curto espaço de tempo”, conta Grava.

Em casos especiais e extremamente orientados por um profissional, o médico do esporte afirma que é possível iniciar a musculação com 14 anos. Mas, ai, depende dos objetivos que se tem para a prática tão cedo. “Antes dessa idade, só em casos de pequenos atletas que podem se beneficiar da musculação para a pratica esportiva”, acrescenta.

O Treinamento a Partir dos 16 anos

musculação criança o treinoPortanto, se o seu filho já tem essa idade, saiba que, antes de matricula-lo na academia é preciso consultar um médico e realizar todos os exames (é, meu amigo, os pequenos também necessitam desse aparato para partir pro treino).

No procedimento clínico, será analisada a maturação óssea, a condição muscular, o equilíbrio e a coordenação motora. Fatores que podem influenciar na prática esportiva. “Além disso, é preciso lembrar que um jovem atleta não é uma miniatura de um atleta adulto, existem diferenças metabólicas que devem ser respeitadas”, aponta Joaquim Grava.

O fato é que a capacidade anaeróbica da criança é largamente inferior a de um adulto, por exemplo. Entretanto, os atletas mais jovens são capazes de se recuperar mais rápido dos exercícios. Sem esquecer que o adolescente, quando submetido a esforço extenuante, sofre grande desgaste metabólico e de produção calórica, em contrapartida, o resfriamento do corpo não é tão eficiente quanto a de um atleta adulto. “O que significa que a alimentação e a hidratação do adolescente é diferente de uma pessoa mais velha”, aponta o ortopedista.

Benefícios para o Futuro

Mas, se você seguir todos os cuidados que listamos e procurar um bom profissional para acompanhar o seu filho, com certeza terá somente lucros quando mais adulto. De acordo com Mauro Martinelli, os benefícios da musculação, assim como de outras atividades físicas são:

– melhora da socialização da criança;

– aumento no rendimento escolar;

– melhora da autoestima – pela liberação dos hormônios (endorfinas) e pela evolução estética;

– melhora da saúde de uma maneira geral (metabólica, física e mental);

– prevenção de doenças;

– diminuição do sedentarismo no adulto pela realização de atividade física desde a infância.

A musculação, como outras atividades, pode melhorar a saúde óssea (fortalecendo os ossos, mantendo o cálcio) e prevenir no futuro o surgimento da osteoporose. “Também pode melhorar o controle metabólico e diminuir a resistência à insulina, o que reduz o risco de aparecimento de diabetes no futuro e também da hipertensão arterial”, afirma Martinelli.

Sem esquecer que a pratica de exercícios físicos afeta a produção hormonal de diferentes maneiras. As atividades aumentam os níveis de endorfinas (como já falamos) e reduzem os de cortisol, contribuindo para o bem-estar psicológico.

“Os níveis de hormônios anabólicos como os esteroides sexuais, hormônio de crescimento e suas proteínas transportadoras também aumentam, principalmente com os exercícios resistidos”, explica Joaquim Grava.

O médico do esporte ainda acrescenta que os efeitos benéficos da atividade física são evidenciados nos mais variados órgãos e sistemas: cardiovascular (maior consumo de oxigênio, manutenção de boa frequência cardíaca), respiratório (aumento dos parâmetros ventilatórios funcionais), muscular (aumento de massa, força e resistência), esquelético (mais conteúdo de cálcio e mineralização óssea), cartilaginoso (aumento da espessura da cartilagem, com maior proteção articular) e endócrino (maior sensibilidade insulínica e melhora do perfil lipídico).

Vamos para o treino?

Eu conversei com o Cacá Ferreira, gerente técnico corporativo da academia Cia Athletica, aqui em São Paulo, e pedi para ele montar um treino para a criançada. Claro que o seu filho precisa de uma orientação profissional (nem pense em passar esses exercícios para ele fazer sozinho). Mas pode ser uma dica para você dar ao treinador. Veja só:

  1. Lançamento

Com uma bola, levante-a acima de sua cabeça e arremesse o mais longe que puder.

  1. Salto

Aqui, ensine a criança a manter a postura ereta para pular. Se tiver uma cama-elástica, fica mais divertido.

  1. Correr lastrado

Com uma corda presa em pneus (de poucos kg), encaixe a corda nos ombros do pequeno (como se fosse um colete) e faça-o correr arrastando o pneu.

  1. Agachamento

Em pé, ensine-o a agachar como se fosse se sentar e fique de olho para que ele mantenha a coluna sempre ereta.

  1. Empurrar

É o mesmo esquema da flexão: deitado de barriga pra baixo e cotovelos rentes ao corpo, mantenha as mãos no chão e empurre o corpo para cima. Volte a posição inicial.

  1. Puxar

Nesse exercício, o ideal seria juntar várias crianças e fazer uma brincadeira de cabo de guerra, em que cada equipe fica de um lado da corda puxando a corda. Vence quem conseguir puxar toda a equipe para o seu campo.

Também pedi outro treino para o André de Andrade, educador físico da academia Bodytech, em São Paulo. Ele apresentou os principais aparelhos que os adolescentes podem fazer na academia. Dá uma olhada:

  1. Supino

Colocando a criança sentada corretamente, aliando ombros, escapulas e cotovelos com o movimento articular apenas de extensão e flexão de cotovelos.

  1. Cadeira adutora

Sentada corretamente, posicione o quadril e faça um bom alinhamento da coluna. Depois, realize o movimento de adução e abdução das pernas.

  1. Elevação Lateral

Em pé, com os joelhos semiflexionados, alinhe a coluna e faça a elevação dos braços

  1. Cadeira flexora

Sentado corretamente, alinhe a coluna e quadril e faça o movimento de flexão e extensão dos joelhos.

  1. Remada sentado

Sentado no aparelho, alinhe a coluna e mantenha os joelhos semiflexionados. Realize o movimento de adução e abdução das escapulas e flexão e extensão dos cotovelos.

  1. Gêmeos (panturrilha)

Em pé, com a coluna ereta, movimente apenas a articulação do tornozelo, fazendo a flexão plantar.

  1. Bíceps com halteres

Sentado em um banco, com a coluna ereta, mantenha os joelhos flexionados e os pés apoiados no chão, com um par de halteres realizando apenas a flexão e extensão de cotovelos.

  1. Tríceps press (aparelho tríceps paralela)

Sentado, matenha a coluna toda encostada no banco e os pés totalmente apoiados no chão. Realize o movimento de extensão e flexão dos cotovelos.

  1. Abdominal no chão

Deitado no chão, com a barriga para cima, os joelhos semiflexionados e os pés apoiados no chão, realizae a flexão do tronco suficiente para apenas desencostar as escapulas no chão.

Já Pode Preparar o seu Filho

Agora é correr para o médico e, depois, procurar uma boa academia para matricular o seu filho.


Thank You. Download Now