E ai que a gente resolve procurar uma boa nutricionista e montar aquele cardápio recheado de comida saudável. Ir para cozinha e preparar as receitas fit virou algo rotineiro – e até prazeroso –.

Posso te dizer que estamos no caminho certo. Afinal de contas, investir em uma alimentação saudável é tiro certeiro para emagrecer, construir mais músculos e ganhar muito mais saúde.

Acontece que, mesmo considerados excelentes para o nosso organismo, alguns desses alimentos também podem contribuir para o aumento de peso. Isso mesmo! Engordar! Parece brincadeira, mas é a mais pura verdade.

x5hoiEsses nutrimentos, quando consumidos de forma exagerada, farão você ver a balança só aumentar. E se o seu intuito é emagrecer, é bom ficar esperto e se ligar na lista que eu acabei de fazer com os 10 alimentos saudáveis, mas que podem sabotar a sua dieta. Se liga:

  1. Oleaginosas

OleaginosasCastanhas, nozes, amêndoas… Elas são supersaudáveis, ricas em antioxidantes, vitaminas e minerais. Acontece que seus valores calóricos são muito altos:

Oleaginosa Quantidade Valor calórico*
Castanha de caju 100g 574 kcal
Castanha-do-Pará 100g 664 kcal
Nozes 100g 651 kcal
Amêndoas 100g 596 kcal
Macadâmia 100g 701 kcal
Pistache 100g 577 kcal
   

* Fonte: Site Patrícia Bertolluci Consultoria em Nutrição

Viu só? A palavra de ordem é moderação. As oleaginosas devem sim fazer parte da nossa rotina alimentar, mas com cuidado. “O indicado é consumir, por exemplo, 2 castanhas-do-Pará, 7 castanhas de caju ou nozes”, ensina Jéssica Berto, nutricionista da Estima Nutrição.

  1. Frutas

FrutasAs frutas são alimentos ricos em fibras, vitaminas e minerais, mas, como bem sabemos, elas são ricas em frutose, carboidrato simples que, quando consumido em excesso, é armazenado como gordura no nosso organismo (a famosa pancinha).

Sem esquecer que o consumo excessivo de frutas contribui para o aumento de glicose (açúcar) no sangue. E isso pode ajudar no desenvolvimento do diabetes tipo 2 (caso você também faça uso exagerado de outros alimentos que se transformam em açúcar na corrente sanguínea).

“Para evitar que a fruta sabote a sua dieta, o ideal é controlar as quantidades e equilibrar o seu consumo sempre com uma fibra (aveia, cereais all brain) ou proteína (chia, por exemplo) ou gordura boa (linhaça), o que diminuirá o seu índice glicêmico”, diz Jéssica.

  1. Abacate

AbacateEsse é um verdadeiro curinga da dieta. Isso porque o abacate é quase sempre indicado para ser consumido alguns minutos antes de irmos dormir, já que ele é rico em fibras e gorduras boas – monoinsaturadas –, nutrientes capazes de manter a saciedade por mais tempo (principalmente em quanto estamos em repouso).

Além disso, o alimento também leva na bagagem antioxidantes, substâncias importantíssimas para o nosso organismo, pois combatem os radicais livres, dando um basta ao envelhecimento precoce e outros problemas.

Mas, o lado obscuro do abacate revela grandes calorias: 350 para ser mais específico (1 abacate inteiro). Por isso, o ideal é consumir ¼ do fruto e não ultrapassar isso jamais.

  1. Alimentos integrais

Alimentos integraisTrocar o arroz, o macarrão e o pão feitos com farinha de trigo branca pelo integral é muito importante. Isso porque eles são repletos de fibras, o que aumenta a saciedade, além do carboidrato complexo (fazendo com que o açúcar seja liberado aos poucos no organismo, evitando os picos de insulina).

Porém, o valor calórico dos alimentos integrais é o mesmo dos normais. Por isso, o seu consumo deve ser moderado. Nesse caso, o ideal é procurar uma nutricionista para indicar a quantidade certa que deve ser colocada no seu cardápio. Tudo isso levando em consideração a sua rotina, assim como a frequência e intensidade da atividade física que pratica.

  1. Chocolate amargo

Chocolate amargoSe você faz parte do grupo que curte comer um chocolate após a refeição e, claro, optou pela versão dark, que contém polifenóis, substâncias anti-inflamatórias e antioxidantes, saiba que a escolha está certa. Porém, também é preciso ficar de olho na quantidade que se coloca pra dentro todos os dias. Cerca de 30g de chocolate amargo, por exemplo, leva 155 kcal, 9g de gordura, sendo 5g da saturada. Muita coisa, não acha?

A dica para não consumir mais do que deveria é comprar apenas as versões com mais de 70% de cacau e comer apenas um par de quadradinhos. Nada mais do que isso.

  1. Alimentos light

Alimentos lightHá quem pense que a versão light não tem quase nada de calorias. Vai com calma, meu amigo. Eles têm sim valores calóricos e, de acordo com o que a nutricionista Jéssica me disse, são classificados como light quando possuem redução mínima de 25% das calorias ou de algum nutriente em relação ao original. “Ou seja, não é porque ele é light que o consumo é livre”, alerta.

Esse é um ponto bastante importante: a versão light, algumas vezes, não significa que possui baixa em calorias. Pode ser que outro nutriente tenha sido reduzido. Por isso, é importante sempre ficar de olho nos rótulos e saber ler as tabelas nutricionais. Além disso, sempre consumir a quantidade indicada pelo seu nutricionista. Nunca ultrapassa-la, ou então, já sabe: quilos a mais na balança.

  1. Iogurte

IogurteAté ele não escapou da lista, meu amigo. Aquele potinho de iogurte também pode ser o vilão da sua dieta. Isso se você inventar de comprar a versão que vem com frutas picadas. Esse combo industrial de iogurte mais frutas aumenta bastante as calorias, além da quantidade de açúcares.

O ideal, portanto, é investir no iogurte natural, sem gordura e adoçar com metade de uma fruta fresca e um pouco de mel.

  1. Requeijão cremoso

Requeijão cremosoTá, eu sei, aquele requeijão passado no pão quentinho é realmente uma delícia. Mas, se você, assim como eu, quer emagrecer, é bom ficar de olho. Afinal de contas, ele possui alto teor de gordura saturada (aquela prejudicial para o coração, além de ter uma elevada concentração de sódio).

Até dá para incluir o requeijão light no cardápio, porém, os profissionais indicam moderação. Não ultrapassar uma colher de chá por dia, ou melhor ainda: troca-lo por creme de ricota, que possui muito menos calorias e não tem tanta gordura.

  1. Tofu

TofuVou confessar que esse até eu me assustei. Conhecido também como queijo de soja, o tofu é recheado de ferro, cálcio e proteínas. Combinação perfeita para quem busca uma vida mais saudável e emagrecer, certo?

O problema é o que você irá preparar com o tofu. Se pensou em algo que vá óleo, ou azeite, fique muito esperto. Isso porque o queijo de soja tem o poder de sugar para si grande parte desse óleo usado para cozinhar, transformando o pequeno quadrado branco em uma verdadeira bomba calórica.

Portanto, o ideal é consumir o tofu em sua forma natural. Mas, se quer esquentar um pouco o queijo de soja, use apenas 1 colher de sopa de azeite.

  1. Alimentos sem glúten e sem lactose

Alimentos sem glúten e lactoseDepois que houve a descoberta do glúten e da lactose como agentes causadores de alergias, muitas pessoas passaram a usar somente produtos livres dessas substâncias a fim de tentar desinchar e, consequentemente, emagrecer.

O que acontece é que alguns alimentos livres de glúten e lactose podem estar recheados de outros elementos, como açúcar, por exemplo. Por isso, como eu já disse, é bastante importante ler os rótulos dos produtos e, assim, identificar aquele que se encaixa com o seu objetivo: emagrecer.

Sem erros

Agora você já sabe quais são os principais alimentos que deve ficar de olho. O exagero nunca é bom, até mesmo com nutrientes que consideramos saudáveis. Muita atenção


Thank You. Download Now